Diário do Jovem Cristão para a Sexta-Feira

P: Como um Deus amoroso pode mandar pessoas para o inferno?

R: A verdade é que Deus nunca quis que os seres humanos fossem para o inferno. Nos é dito claramente que “o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mateus 25:41).

Quando Satanás foi expulso do céu por causa de seu orgulho e rebelião, ele levou uma grande quantidade de anjos com ele, e ele e esses demônios acabarão sendo lançados naquele lugar terrível. Então aprendemos que o inferno não foi preparado para o homem, mas para os anjos caídos!

No entanto, um Deus três vezes santo não pode ter pecado em Sua presença e, consequentemente, o homem pecador não pode entrar no céu em sua condição atual. Em amor, Deus providenciou um meio de salvação e purificação do pecado através da obra do Senhor Jesus no Calvário. “O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1:7). Se o caminho da salvação de Deus é rejeitado, Deus não tem escolha senão banir as almas para uma eternidade perdida.

Ele é realmente um Deus de amor e nunca aplica uma sentença sem dar um aviso e um caminho para sair desse juízo. Portanto, aqueles que terminam no lago de fogo não terão ninguém para culpar além de si mesmos. Jesus disse que se você “morre em seus pecados: Para onde eu vou, você não pode vir” (João 8:21).

Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele.” [1]

“A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” [2], pois “segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas” [3], e “convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e mediante quem tudo existe, trazendo muitos filhos à glória, consagrasse pelas aflições o príncipe da salvação deles. Porque, assim o que santifica, como os que são santificados, são todos de um; por cuja causa não se envergonha de lhes chamar irmãos, dizendo: Anunciarei o teu nome a meus irmãos, cantar-te-ei louvores no meio da congregação” [4]. Assim “o mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados” [5]. Nosso Senhor disse: “Vou preparar-vos lugar. E… virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo” [6].

Nascidos na família de Deus
Pela fé em nosso precioso Senhor;
Por isso o mundo não nos conhece;
Não conhece a Ele nem a Sua Palavra.

[1] 1 João 3:1; [2] João 1:12-13; [3] Tiago 1:18; [4] Hebreus 2:10-12; [5] Romanos 8:16-17; [6] João 14:2-3

Diário do Jovem Cristão para a Quinta-Feira

Irrepreensível

“O mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é aquele que vos chama, e ele também o fará” (1 Tessalonicenses 5:23).

Cada parte de nós, das profundezas interiores do nosso ser à casca exterior, precisa ser preservada. É tão fácil se ocupar com o mundo e sua maldade, especialmente quando estamos na escola ou no trabalho. A pressão dos colegas é muito forte. Todos os padrões morais que nossos pais e avós tentaram defender no temor de Deus estão sendo abandonados.

No entanto, temos Alguém que é fiel e Alguém que é capaz de preservar as três partes do nosso ser: espírito, alma e corpo. “Deus é fiel” (1 Coríntios 1:9).

Assim como Paulo escreveu para os tessalonicenses, faremos bem em orar um pelos outros todos os dias: “Oro a Deus para que todo o seu espírito, alma e corpo sejam preservados IRREPREENSÍVEIS até a vinda do Senhor Jesus Cristo”.

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Tu contaste as minhas aflições; põe as minhas lágrimas no teu odre; não estão elas no teu livro?” [1]

Muitas são as lágrimas que foram derramadas pelo povo de Deus neste mundo amaldiçoado pelo pecado e hostil: lágrimas de pesar, lágrimas de arrependimento e remorso, lágrimas de desamparo, lágrimas de preocupação, e até mesmo, às vezes, lágrimas de alegria. E o Senhor sabe sobre todas elas e mantém a conta de todas. Muitos de nós podemos nos colocar no lugar do salmista quando disse: “As minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia e de noite, porquanto se me diz constantemente: Onde está o teu Deus?” [2] Muitos dos queridos servos de Deus, tais como Paulo, estão “servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas” [3], e “não cessaram, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós” [4]. Muitas cartas foram escritas pelos santos (crentes) das quais pode ser dito: “vos escrevi, com muitas lágrimas” [5], e muitos queridos filhos de Deus podem dizer com Davi: “Já estou cansado do meu gemido, toda a noite faço nadar a minha cama; molho o meu leito com as minhas lágrimas” [6]. Deus permite essas mágoas e lágrimas por algum propósito, e Ele conta todas as nossas lágrimas. “Em toda a angústia deles ele foi angustiado.. e [Ele] os tomou, e os conduziu” [7], e Sua palavra para Ezequias vêm aos nossos corações: “Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas” [8]. E o tempo se aproxima em que “Deus limpará de seus olhos toda a lágrima” [9].

O coração se quebra, e as lágrimas fluem
Através de noites escuras e tristes,
Mas a bênção de Sua mão virá,
Diretamente do “Pai das luzes”.

[1] Salmo 56:8; [2] Salmo 42:3; [3] Atos 20:19; [4] Atos 20:31; [5] 2 Coríntios 2:4; [6] Salmo 6:6; [7] Isaías 63:9; [8] 2 Reis 20:5; [9] Apocalipse 21:4

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Olha para mim, e tem misericórdia de mim, porque estou desamparado e aflito.” [1]

Poucos são os filhos de Deus que nunca se sentiram “desamparados”, sozinhos mesmo em meio a amigos e pessoas amadas, e “aflitos”, deprimidos, e muito conscientes de que precisavam de ajuda. Em tais momentos, sabemos, no fundo do coração, a verdade das palavras do Senhor: “A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” [2], mas mesmo tal conhecimento parece ser algo difícil de se apegar em tempos de tal depressão. Nossa situação parece a de Asafe, quando clamou: “Lembro-me de Deus, e me lamento; queixo-me, e o meu espírito desfalece. Conservas vigilantes os meus olhos; estou tão perturbado que não posso falar. Considero os dias da antiguidade, os anos dos tempos passados. De noite lembro-me do meu cântico; consulto com o meu coração, e examino o meu espírito. Rejeitará o Senhor para sempre e não tornará a ser favorável? Cessou para sempre a sua benignidade? Acabou-se a sua promessa para todas as gerações?” [3] Mas note como Asafe superou tal depressão: “Recordarei os feitos do Senhor; sim, me lembrarei das tuas maravilhas da antiguidade. Meditarei também em todas as tuas obras, e ponderarei os teus feitos poderosos” [4]. Faça o mesmo, amigo(a) aflito(a).

Seu coração está aflito e solitário?
Você sente que está tudo perdido?
Seus sentimentos não alteram Aquele
Que é sempre verdadeiro para com os Seus.

[1] Salmo 25:16; [2] 2 Coríntios 12:9; [3] Salmo 77:3-8; [4] Salmo 77:10-12

Diário do Jovem Cristão para a Quarta-Feira

Onde?

Lembro-me muito bem da tia Bernice. Ela era uma mulher tranquila que vivia de maneira simples e pelo Senhor. Ela foi salva na adolescência e exibiu piedade durante todos os anos de sua vida.

Nunca vou esquecer de estar ao lado da sua cama quando ela gentilmente deu seu último suspiro, um sorriso cruzou seus lábios, e eu sabia que ela estava em casa segura. “Ausente do corpo e presente com o Senhor” (2 Coríntios 5:8).

Enquanto estava lá, pensei em outra alma que havia passado para a eternidade no início daquela semana na mesma enfermaria do hospital. Ele era um homem que tinha sido um bom cidadão na cidade em que vivo. Sua reputação como marido, pai, homem de negócios e filantropo era impecável. Mas, aparentemente, ele não era salvo. Os lamentos que encheram aquela ala do hospital nunca vou esquecer. Ele estava em agonia, não tanto fisicamente, mas emocionalmente, quando percebeu que estava diante da eternidade.

Que contraste! Não acredito que o homem tenha sido salvo e, até onde sabemos, está perdido pela eternidade. E nós? Que possamos lembrar da pergunta de Jó: “morto o homem, é consumido; sim, rendendo o homem o espírito, então, onde está?” (Jó 14:10). Onde estaremos?

Diário do Jovem Cristão para a Terça-Feira

Uns aos Outros

“O ferro é afiado pelo ferro; assim o homem afia o rosto do seu amigo” (Provérbios 27:17).

Como um instrumento de ferro é afiado e polido pelo contato com outro, do mesmo modo podemos nos ajudar mutuamente por conversas e trocas de ideias interessantes e proveitosas. Uma pessoa que se isola de seu semelhante e não busca o conselho e o companheirismo dos outros é sempre unilateral e desequilibrado em seus pensamentos e ações.

Se você deseja ser uma bênção para os outros, deve interagir com eles para que aprenda e entenda suas necessidades e suas tristezas, assim como suas alegrias. Entre os crentes em Cristo, a comunhão uns com os outros é muito necessária e extremamente valiosa, especialmente nestes dias de crescente escuridão moral e espiritual.

Eis aqui algumas boas instruções a respeito disso:
“Portanto, confortai-vos e edifica-vos uns aos outros” (1 Tessalonicenses 5:11).

“Admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele Dia” (Hebreus 10:25).

“Ensinando e admoestando uns aos outros” (Colossenses 3:16).

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“O Senhor teu Deus, o poderoso, está no meio de ti, ele salvará; ele se deleitará em ti com alegria; calar-se-á por seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo.” [1]

Este versículo antecipa o glorioso tempo em que nosso Senhor Jesus Cristo se sentará em Jerusalém no “trono de Davi, seu pai; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim” [2]. Mas o que será verdadeiro para o Israel redimido e restaurado naquele dia é também aplicável agora a nós que O conhecemos. Para nós Ele é “o poderoso” [1], Ele “é maravilhoso em conselho e grande em obra” [3]. “Ele salvará” [1], pois “pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” [4]. E “Ele se deleitará em ti com alegria” [1]. Quando viemos a Ele e nEle confiamos, houve “alegria no céu por um pecador que se arrepende” [5], e agora o Senhor continua a “se deleitar em ti com alegria”. Ele não é um capataz duro, pronto a nos ferir quando falhamos. Ele lida conosco com amor e graça, e “assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem. Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó” [6]. Ele “regozijar-se-á em ti com júbilo [cântico]” [1]. “As suas misericórdias não têm fim; novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade” [7].

Ele se deleita nos que são Seus,
Como alguém que encontra grande tesouro;
Ele nos redimiu pelo Seu sangue,
E não por nossas obras ou labuta.

[1] Sofonias 3:17; [2] Lucas 1:32-33; [3] Isaías 28:29; [4] Hebreus 7:25; [5] Lucas 15:7; [6] Salmo 103:13-14; [7] Lamentações 3:22-23

Diário do Jovem Cristão para a Segunda-Feira

Caro Cristão:

Aqui estão dois versículos para memorizar e realmente pensar esta semana: “Vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porquanto os dias são maus” (Efésios 5: 15-16).

O tempo é uma mercadoria muito preciosa. Certamente, o objetivo de todo crente é fazer a vontade de Deus no caminho de Deus e no tempo de Deus. Se assim for, então, em obediência ao impulso e liderança do Espírito Santo, teremos o tempo necessário para realizá-lo. Nem mais e nem menos!

Os problemas surgem quando todo o nosso tempo é consumido com coisas que não são verdadeiramente valiosas. É claro que precisamos ter tempo para viver e agir no mundo cotidiano em que nos encontramos. Mas muitas vezes nesta sociedade de grande pressão e ritmo acelerado, o povo de Deus está exausto e tem pouco tempo para o Senhor. Não deixemos a rotina diária de escola ou trabalho sugar todo o nosso tempo e energia, para que não tenhamos mais nada para o serviço Dele. Que possamos perguntar todos os dias: “Senhor, que queres que eu faça?” (Atos 9:6).

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)”. [1]

Que quadro tenebroso precede as palavras acima. Nós estávamos “mortos em ofensas e pecados” [2], e andávamos “segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência; entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também” [2]. Quão ignorantes, embotados e depravados éramos todos nós, “mas Deus”! Pois se não fosse Sua intervenção não haveria esperança para ninguém. “Mas Deus… riquíssimo em misericórdia”, e por causa de “Seu muito amor”, “nos vivificou juntamente com Cristo” [1], “levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro” [3], de modo que agora “pela graça sois salvos” [1]. “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” [4]. E não apenas isso, “mas Deus” ainda intervém por nós. “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” [5].

Perdidos, cegos, condenados e arruinados,
Nenhuma esperança nem ajuda a encontrar,
“Mas Deus… riquíssimo em misericórdia” e graça,
Com amor ilimitado aqui desceu.

[1] Efésios 2:4-5; [2] Efésios 2:1-3; [3] 1 Pedro 2:24; [4] Romanos 5:8; [5] 1 Coríntios 10:13