Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé.” [1]

Todo aquele que conhece a Cristo foi salvo da condenação do pecado e “tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida” [2]. Além disso, nosso Senhor fala de todos aqueles pelos quais “Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que Me deste, porque são Teus” [3], e assim também somos, no tempo presente, salvos do poder do pecado. E aguardamos o tempo da salvação completada, quando seremos salvos da presença do pecado, “e assim estaremos sempre com o Senhor” [4]. Embora possuamos uma completa salvação, não temos ainda uma salvação completada. Por essa nós esperamos, e por isso que “nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé” [1]. Desde já, “a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas” [5]. “Nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo” [6]. Aguardamos pela “salvação, já prestes para se revelar no último tempo, em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações” [7].

Um dia, Ele virá para os que são Seus,
Levando-nos para o lar em glória;
Cantaremos Seus louvores para sempre,
A doce história da redenção.

[1] Romanos 13:11; [2] João 5:24; [3] João 17: 9; [4] 1 Tessalonicenses 4:17; [5] Filipenses 3:20-21; [6] Romanos 8:23; [7] 1 Pedro 1:5-6

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.” [1]

Não apenas o verdadeiro crente foi salvo da condenação do pecado, como também somos continuamente salvos do poder do pecado em nossa vida, “vivendo sempre para interceder por” nós. Ele “nos livrou de tão grande morte, e livra; em quem esperamos que também nos livrará ainda” [2]. “Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida” [3], pois “é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós” [4]. Muitas vezes devemos clamar a Ele por essa salvação presente do domínio do pecado, da pressão das provações, e quando estamos “contristados com várias tentações” [5]. Mas nunca clamamos em vão. “Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos” [6], esta deveria ser nossa constante oração. E sempre que clamamos e em quaisquer circunstâncias que estejamos, Sua Palavra vem a nós, dizendo: “Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu. Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti” [7].

Dia a dia, Ele me salva
De Satanás, do mundo e do pecado,
Pois Cristo sempre vive acima,
E o Espírito em nós habita.

[1] Hebreus 7:25; [2] 2 Coríntios 1:10; [3] Romanos 5:10; [4] Romanos 8:34; [5] 1 Pedro 1:6; [6] Salmo 119:94; [7] Isaías 43:1‑2

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“Deus, que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos [antes que o mundo começasse]” [1]

“Deus… nos salvou” [1]. A salvação é a presente posse de todos aqueles que confiaram em Cristo. “Quem tem o Filho tem a vida” [2], agora mesmo. Não precisamos esperar até que estejamos diante de Deus para sabermos se estamos salvos. “Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna” [2]. Para o crente, duvidar que é salvo é duvidar da Palavra de Deus, pois “a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” [3]. “Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” [4], e assim poderás dizer que “eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia” [5]. O Salvador disse: “Dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão” [6]. Assim “aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece” [7].

Salvos pelo sangue de Jesus,
Salvos da ruína e do pecado,
Salvos por toda a eternidade
Para todos os que entrarem.

[1] 2 Timóteo 1:8-9; [2] 1 João 5:12‑13; [3] João 1:12‑13; [4] Romanos 10:9; [5] 2 Timóteo 1:12; [6] João 10:28; [7] João 3:36

 

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.” [1]

Muitos de nós somos como Marta, “distraída em muitos serviços” [2], e “ansiosa e afadigada com muitas coisas”, tantas que esquecemos ou pelo menos negligenciamos a “uma só [que] é necessária” [1]. Há aquelas “coisas necessárias” [3] que estão conectadas com nossa vida e bem-estar aqui na terra e que devem reivindicar nossa atenção. Mesmo com elas devemos ter cuidado com “os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas [que], entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera” [4], lembrando que “a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui” [5], pois quando “te pedirem a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?” [6] Mas “a boa parte”, aquela “uma só… necessária”, escolhida por Maria, “não lhe será tirada” [1]. Ela “assentando-se… aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra” [7], e “a palavra do Senhor permanece para sempre” [8]. Querido cristão, não permita que “coisas” sufoquem a Palavra de Deus em sua vida. “Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça” [9], e “buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” [10], e todas essas coisas providas por Deus “são boas e proveitosas aos homens” [11].

“Coisas” se destacam no horizonte
E ocupam nosso tempo e força,
Mas “coisas” passarão um dia;
Apenas “uma coisa” vai durar para sempre.

[1] Lucas 10:41-42; [2] Lucas 10:40; [3] Atos 15:28; [4] Marcos 4:19; [5] Lucas 12:15; [6] Lucas 12:20; [7] Lucas 10:39; [8] 1 Pedro 1:25; [9] 1 Timóteo 6:11; [10] Mateus 6:33 – [11] Tito 3:8