Pessoa e Obra de Cristo

Vazio

“E ninguém aparecerá vazio diante de mim” (Êxodo 34:20)

Você já se sentiu espiritualmente vazio no primeiro dia da semana? Você já sentiu como se não tivesse nada a oferecer ao Senhor no que diz respeito a louvor e adoração? Muitas vezes eu mesmo já me senti assim, e aqui está o motivo: louvor e adoração são o resultado de um coração transbordando com a apreciação da Pessoa e obra de Cristo. Se eu não estiver desfrutando das coisas espirituais durante a semana, certamente estarei espiritualmente vazio no dia do Senhor. Não se pode esperar tirar água de um vaso que não tenha sido previamente enchido.

O remédio, é claro, é enchermos nossas vidas com Cristo durante cada dia da semana. Isto fazemos ao ler nossas Bíblias, passando o tempo em meditação, e andando no sentido consciente de Sua presença conosco. Então, quando nos reunirmos para lembrá-Lo no partimento do pão, e para “oferecer sacrifício de louvor” (Hebreus 13:15), não compareceremos diante dEle vazios, mas com corações transbordando com aquilo do que Ele é tão digno.

Conforto das Escrituras para o Sábado

“Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos” [1]

Não nos é dito para nos regozijarmos em nossas circunstâncias ou em nossas perspectivas. Essas coisas variam; às vezes são favoráveis, e às vezes não. Em vez disso, é-nos dito a “regozijai-vos sempre no Senhor”. Devemos calmamente nos deleitarmos nEle, independentemente das nossas circunstâncias. Devemos animar-nos em nossos corações por nossa contemplação do Senhor e de Sua graça, para “servirmos (adorarmos) a Deus em espírito, e nos gloriamos (nos alegramos) em Jesus Cristo, e não confiamos na carne” [2]. Muitas são as bênçãos que são nossas porque O conhecemos como Salvador, “mas também nos gloriamos (nos alegramos) em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora temos recebido a reconciliação” [3]. Como nosso Senhor orou pelos Seus na noite anterior à cruz, agora Ele ora por nós no céu, “para que eles tenham a minha alegria completa em si mesmos” [4]. Essa alegria deve ser nutrida e mantida ao alimentarmo-nos com Sua Palavra, pois Ele disse: “Estas coisas vos tenho dito, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo” [5]. “As tuas palavras eram para mim o gozo e alegria do meu coração” [6]. Assim “com alegria tirareis águas das fontes da salvação” [7]. Nunca se esqueça, querido cristão, de que “a alegria do Senhor é a vossa força” [8].

Ele enche o coração confiante com alegria,
Por mais sombrios que possam ser os nossos dias;
A alma que descansa em Sua graça
Encontrará calma em todos os seus caminhos.

[1] Filipenses 4:4 ~ [2] Filipenses 3:3 ~ [3] Romanos 5:11 ~ [4] João 17:13 ~ [5] João 15:11 ~ [6] Jeremias 15:16 ~ [7] Isaías 12:3 ~ [8] Neemias 8:10

Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“Estando fartos, ensoberbeceu-se (exaltou-se) o seu coração, por isso se esqueceram de mim” [1]

Quantas vezes nós, entre o povo redimido de Deus, nos permitimos ficar “sufocados com os cuidados e riquezas e deleites (prazeres) da vida” [2], esquecendo que “os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra” [3]. Assim, quando Deus permite que Seus filhos tenham prosperidade terrena, muitas vezes é necessário dizer que “estando fartos, ensoberbeceu-se (exaltou-se) o seu coração, por isso se esqueceram de mim” [1]. E isso acontece apesar das palavras do Senhor: “A vida de qualquer não consiste na abundância do que possui” [4]. As posses terrenas, em si mesmas, não dão alegria, mas a comunhão com o Senhor dá. Portanto, temos a admoestação a “mandar aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos” [5]. Nada na terra pode trazer alegria e prazer comparáveis à alegria e prazer da obediência e da comunhão com nosso Senhor. “Quão preciosa é, ó Deus, a tua benignidade (bondade amorosa), pelo que os filhos dos homens se abrigam à sombra das tuas asas. Eles se fartarão (ficarão abundantemente satisfeitos)… e os farás beber da corrente das tuas delícias (prazeres)” [6].

Estás cheio das bugigangas desta vida?
Ou cheio das supremas alegrias dEle?
Vivendo agora para a eternidade?
Ou para os sonhos transitórios desta vida?

[1] Oseias 13:6 ~ [2] Lucas 8:14 ~ [3] Marcos 4:19 ~ [4] Lucas 12:15 ~ [5] 1 Timóteo 6:17 ~ [6] Salmo 36:7-8

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Ó Senhor, ando oprimido, fica por meu fiador” [1]

Não há momentos na vida de de todo crente quando nós, como Ezequias em nosso versículo, nos encontramos tão cheios de angústia e pesar, e tão incapazes de lidar com nossas situações, que podemos apenas clamar ao Senhor: “ando oprimido, fica por meu fiador”? Tempos de grandes problemas, tempos de perplexidade, tempos de incerteza, tempos em que “a minha mão se estendeu de noite, e não cessava; a minha alma recusava ser consolada… queixava-me, e o meu espírito desfalecia” [2]. A todos nós chegam momentos quando percebemos nosso absoluto desamparo e nossa necessidade de dependência do Senhor, quando, como Ezequias, “como o grou, ou a andorinha, assim eu chilreava, e gemia como a pomba; alçava os meus olhos ao alto; ó Senhor, ando oprimido, fica por meu fiador” [3]. Quando você chega a tais circunstâncias, “derramai perante ele o vosso coração. Deus é o nosso refúgio” [4]. “O Senhor será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia. Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te buscam… não se esquece do clamor dos aflitos” [5,6]. “E disse o Senhor: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo… e tenho ouvido o seu clamor… porque conheci as suas dores” [7]. “A minha esperança está em ti” [8].

Quando estamos oprimidos e cansados,
Com ninguém em quem podemos confiar,
Ele conhece nosso pesar e angústia;
Nosso clamor por ajuda Ele não vai desprezar.

[1] Isaías 38:14 ~ [2] Salmos 77:2-3 ~ [3] Isaías 38:14 ~ [4] Salmo 62:8 ~ [5] Salmos 9:9-10 ~ [6] Salmo 9:12 ~ [7] Êxodo 3:7 ~ [8] Salmo 39:7

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e por meio de quem tudo existe, em trazendo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse pelos sofrimentos o autor da salvação deles.” [1]

Deus está “trazendo muitos filhos à glória” por meio do “autor da salvação deles”, aquela Pessoa bendita que levou “Ele próprio os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro” [2], e assim foi aperfeiçoado “pelos sofrimentos” para ser nosso Salvador. Em Sua Pessoa, Ele sempre foi perfeito, pois Ele era e é “Deus… manifesto em carne” [3]. Mas para que se tornasse nosso Salvador, “também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus” [4], e Seus sofrimentos vicários O tornaram nosso Salvador. Ele é “o autor” da nossa salvação, o líder, o originador. “Ao Senhor pertence a salvação” [5]. Ele a originou, “assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos” [6], “pois”, disse Ele enquanto aqui na terra, “o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” [7]. “Fiel é esta palavra e digna de toda a aceitação; que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores” [8]. Então, “que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do Senhor” [9].

“O autor da salvação deles”,
Ele guia os Seus seguros até o lar,
Guardando e protegendo
Do que nos levaria a vagar.

[1] Hebreus 2:10 ~ [2] 1 Pedro 2:24 ~ [3] 1 Timóteo 3:16 ~ [4] 1 Pedro 3:18 ~ [5] Jonas 2:9 ~ [6] Mateus 20:28 ~ [7] Lucas 19:10 ~ [8] 1 Timóteo 1:15 ~ [9] Salmo 116:12-13

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“Que pensais vós do Cristo? De quem é filho?” [1]

A resposta correta para a pergunta acima não é apenas uma questão de doutrina correta, mas uma questão que determina o destino eterno de uma pessoa. Se apenas crermos que Ele é o filho “de Davi”, como fizeram os fariseus a quem o Senhor dirigiu a pergunta acima, “como é então que Davi, em espírito, lhe chama Senhor, dizendo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés?” [2] Considerar nosso Senhor como apenas um homem, mesmo que um homem bom, é fazer de Deus mentiroso, pois Ele disse de nosso Senhor: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” [3]. Então “quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho. Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; mas aquele que confessa o Filho, tem também o Pai” [4]. Nossa salvação depende de Sua Divindade e de nosso reconhecimento disto, pois “se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” [5]. Assim como Tomé, cada verdadeiro crente O confessa como “Senhor meu, e Deus meu” [6]. Nós humilde e felizmente O reconhecemos como o “Filho do seu amor [de Deus], em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados” [7], e que “Deus se manifestou em carne” [8].

O Filho de Deus veio à terra
Para morrer por todos os homens;
O que fizemos dEle, querido amigo?
Prepare-se, antes que Ele volte.

[1] Mateus 22:42 ~ [2] Mateus 22:43-44 ~ [3] Mateus 3:17 ~ [4] 1 João 2:22-23 ~ [5] Romanos 10:9 ~ [6] João 20:28 ~ [7] Colossenses 1:13-14 ~ [8] 1 Timóteo 3:16

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque.” [1]

Nosso Senhor Jesus Cristo “entrou por nós” “até ao interior do véu” [2], “porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus” [3]. Mas Ele entrou “até ao interior do véu” como o “precursor”. Um “precursor” é alguém que vai à frente, limpando uma trilha pioneira, como um escoteiro, para que outros possam seguir. Ninguém jamais poderia seguir o sumo sacerdote do Antigo Testamento “até ao interior do véu”, pois “no segundo [o santo dos santos], só o sumo sacerdote, uma vez no ano” [4]. Mas nós que conhecemos o Senhor Jesus agora temos “ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne” [5]. Além disso, nosso Senhor entrou no céu em um corpo de carne e ossos, como nosso precursor, e um dia Ele levará todos os Seus santos glorificados “até ao interior do véu”, cumprindo Sua promessa: “Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também” [6], “e assim estaremos sempre com o Senhor” [7].

Ele entrou no céu por nós;
Como um Homem, senta-Se em glória;
Ele virá levar-nos para Si,
Completando a história da redenção.

[1] Hebreus 6:20 ~ [2] Hebreus 6:19 ~ [3] Hebreus 9:24 ~ [4] Hebreus 9:7 ~ [5] Hebreus 10:19-20 ~ [6] João 14:2-3 ~ [7] 1 Tessalonicenses 4:17

Conforto das Escrituras para o Domingo

“O que responde antes de ouvir comete estultícia que é para vergonha sua.” [1]

Quão frequentemente cristãos são culpados de responder uma questão antes de ouvi-la. Ouvimos apenas um lado sobre o problema ou controvérsia, e formamos uma opinião ou chegamos a uma conclusão sem conhecer os fatos. Muitas vezes chegamos a conclusões com base em boatos, enquanto Deus diz que “por boca de duas ou três testemunhas será confirmada toda a palavra” [2], e fazemos bem em obedecer à Palavra de Deus para ser “pronto para ouvir, tardio para falar” [3], até que conheçamos os fatos. “Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, e toda a língua confessará a Deus. De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus. Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão” [4] . Assim é “estultícia que é para vergonha sua” quem “responde antes de ouvir” [1]. Em vez disso “inquirirás e investigarás, e com diligência perguntarás” [5], e “não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça” [6]. Então, não seja alguém “que responde antes de ouvir” [1], todos os lados da questão. E mesmo assim, lembre-se que “o amor cobre todos os pecados” [7].

[1] Provérbios 18:13 ~ [2] 2 Coríntios 13:1 ~ [3] Tiago 1:19 ~ [4] Romanos 14:10-13 ~ [5] Deuteronômio 13:4 ~ [6] João 7:24 ~ [7] Provérbios 10:12

Pessoa e Obra de Cristo

Um Contraste

Mãos ímpias pregaram o Senhor Jesus na cruz. O Senhor pôde dizer: “O ajuntamento de malfeitores me cercou, traspassaram-me as mãos e os pés” (Salmos 22:16). Mãos iníquas ergueram a lança que perfurou Seu lado. “Contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água” (João 19:34).

No entanto, mãos amorosas cuidadosamente removeram o corpo do Senhor Jesus da cruz. “Chegou José de Arimatéia, senador honrado, que também esperava o reino de Deus, e ousadamente foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus… O qual comprara um lençol fino, e, tirando-o da cruz, o envolveu nele, e o depositou num sepulcro lavrado numa rocha; e revolveu uma pedra para a porta do sepulcro” (Marcos 15:43,46).

Que contraste! Mais tarde o Senhor Jesus, ressuscitado, mostrou aquelas mesmas feridas aos discípulos. “Mostrou-lhes as mãos e os pés” (Lucas 24:40). “Mostrou-lhes as suas mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor” (João 20:20). Nós também podemos nos alegrar ao vermos, pela fé, a prova de uma obra consumada.

Conforto das Escrituras para o Sábado

“Oh! quem me dera asas como de pomba! Então voaria, e estaria em descanso.” [1]

Todos nós já não passamos por tempos em que, sobrecarregados por situações e circunstâncias que nos oprimem e desencorajam, desejamos poder deixar todas as coisas difíceis para trás para estar “em descanso”? Davi escreveu essas palavras em um tempo em que ele podia dizer que “o meu coração está dolorido dentro de mim, e terrores da morte caíram sobre mim. Temor e tremor vieram sobre mim; e o horror me cobriu… Eis que fugiria para longe, e pernoitaria no deserto. ( Selá. ) Apressar-me-ia a escapar da fúria do vento e da tempestade”. Mas não podemos escapar das nossas aflições e problemas. Não podemos “escapar da fúria do vento e da tempestade” [2,3]. É certo que há tempos em que o Senhor se agrada em mudar as coisas, de modo que as coisas que nos machucam são removidas. Mas na maior parte do tempo ele nos diz: “A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” [4]. “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” [5]. “E será aquele homem como um esconderijo contra o vento, e um refúgio contra a tempestade, como ribeiros de águas em lugares secos, e como a sombra de uma grande rocha em terra sedenta” [6].

As tempestades da vida vêm sobre nós
E açoitam com fúria e força,
Em meio a elas Sua graça nos mantém firmes
E assim nosso barco mantém-se em rota.

[1] Salmos 55:6 ~ [2] Salmos 55:4-5 ~ [3] Salmos 55:7-8 ~ [4] 2 Coríntios 12:9 ~ [5] Romanos 8:37 ~ [6] Isaías 32:2