Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Não digas: Vingar-me-ei do mal; espera pelo Senhor, e ele te livrará.” [1]

É a inclinação natural, sendo nossos corações distorcidos pelo pecado, querer dar o troco àqueles que nos maltratam ou nos ignoram. Mas a Palavra de Deus nos diz: “Não digas: Como ele me fez a mim, assim o farei eu a ele; pagarei a cada um segundo a sua obra” [2]. Em vez disso, Deus diz para nós que O conhecemos: “Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, tanto uns para com os outros, como para com todos” [3], e a “bendizer os que vos maldizem, e orar pelos que vos caluniam” [4], “não tornando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; sabendo que para isto fostes chamados, para que por herança alcanceis a bênção” [5]. “Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo” [6]. Portanto, não tiremos o caso de Suas mãos, “pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo… O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente” [7, 8]. “Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça” [9].

Não podemos lutar nossas próprias batalhas;
Não temos sabedoria ou força,
Mas colocando tudo em Suas preciosas mãos
Fará tudo ficar bem com o tempo.

[1] Provérbios 20:22; [2] Provérbios 24:29; [3] 1 Tessalonicenses 5:15; [4] Lucas 6:28; [5] 1 Pedro 3:9; [6] Hebreus 10:30; [7] 1 Pedro 2:21; [8] 1 Pedro 2:23; [9] Romanos 12:20

Compartilhe...