NÃO CONSIGO FUGIR DE DEUS

link: https://youtu.be/rlGxuyzJFgY

Tom era um rapaz que trabalhava como chauffeur (motorista). Ele ganhava um bom salário, e seu chefe era bom para ele. Mas havia uma coisa em sua vida que o incomoda e irritava. Ele tinha uma mãe carinhosa e piedosa que vivia em uma cidade próxima, e ela o visitava com frequência. Mas quando ela vinha, ela sempre falava para ele sobre Cristo e sua necessidade de salvação.

 

“Mãe”, ele finalmente falou, “não aguento mais isto. Se você não parar de tocar nesse assunto, vou desistir do meu emprego e me mudar para longe, para onde você não possa me visitar tão facilmente.”

 

“Tom”, disse sua mãe preocupada, “enquanto eu puder falar, não vou parar de te dizer sobre sua necessidade do Salvador, e eu sempre estarei orando por você.”

 

Rota de Escape

 

Tom foi adiante com sua ameaça de se mudar. Ele escreveu a um amigo que vivia em uma cidade a muitos quilômetros ao norte e pediu que o ajudasse a procurar um emprego para ele naquela região do país. Ele sabia que sua mãe não podia segui-lo até lá, e embora estivesse sentisse muito por ter de deixar o bom emprego que tinha, disse para si mesmo: “Vale a pena ter alguma paz e tranquilidade.”

 

Seu amigo lhe achou outro emprego como chauffeur, e Tom contou à sua mãe que seria um alívio ficar longe de suas constantes pregações em sua cabeça. Mas ainda que Tom estivesse se mudando longe o suficiente de modo que sua mãe não pudesse visitá-lo sempre, ele nunca estaria além do alcance de suas orações.

 

Perseguido

 

No primeiro dia de seu novo emprego, Tom tinha que levar o Sr. Wells, seu novo patrão, para fora da cidade. Mas em vez de se sentar no banco de trás como era de costume, o Sr. Wells se sentou no banco da frente, ao lado de seu novo chauffeur.

 

“Ele quer ver como eu dirijo”, pensou Tom. Eles mal começaram a viagem quando o Sr. Wells se virou para ele e começou a falar. “Me diga, você está salvo?”, perguntou o Sr. Wells. Se uma voz tivesse vindo direto do céu, não teria surpreendido Tom muito mais que aquilo. Ele ficou profundamente abalado!

 

“Deus me seguiu todo o caminho até aqui no norte!”, gritou ele por dentro. “Eu me distanciei da minha mãe pregadora, mas parece que não consigo me afastar de Deus!”. Tom queria se esconder em algum lugar… muito longe dali. Ele não podia responder ao Sr. Wells, e mal podia dirigir por estar tremendo.

 

Seu patrão cristão continuou lhe falando de Cristo, e mais uma vez Tom ouviu a mesma mensagem do evangelho que sua querida mãe tinha lhe contado tantas vezes. Mas desta vez, parecia ter um novo significado – Deus de fato o havia seguido e estava falando com ele, e a mensagem começou a lhe tocar. Mas não parecia ser uma mensagem de boas notícias para Tom; era uma mensagem de terror e condenação. Ele sabia que era Cristo, o Filho de Deus, que tinha sido desprezado e rejeitado. Ele entendeu pela primeira vez que era um pecador perdido. Antes de chegarem ao fim da viagem, a terrível culpa e o medo que o tomaram fizeram Tom ficar fisicamente doente – doente demais para continuar o seu trabalho de chauffeur, e tão doente que teve que ficar de cama.

 

Perdão

 

Por alguns dias ele não podia nem sair da cama. Mas o Sr. Wells veio vê-lo, ler a Palavra de Deus e orar. Logo o amor e a graça do Salvador que ele tinha rejeitado começou a penetrar em seu coração, substituindo o terror e condenação que lhe vinha oprimindo.

 

Tom viu que havia misericórdia para uma pessoa que tinha ridicularizado e desprezado o próprio Filho de Deus e Sua amável oferta de perdão. Ele viu que o sangue de Cristo é a resposta diante de Deus até mesmo para um pecador rebelde como ele, e agora ele acreditou em seu coração na verdade dessas maravilhosas palavras: “Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro” (1 João 4:19). Ele viu que o Senhor Jesus tinha levado sobre Si a punição pelos seus pecados no Calvário e que, embora ele houvesse endurecido seu coração contra Deus e contra sua mãe, ele estava agora perdoado – sem pecado ou mancha perante a vista de um Deus amoroso que deu Seu próprio Filho para que os pecadores pudessem ser salvos.

 

A primeira carta que Tom escreveu à sua mãe foi para lhe contar sobre as maravilhosas notícias: “Deus me seguiu todo o caminho até aqui no norte e salvou minha alma! Suas orações foram respondidas.”

 

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” (Efésios 2:8)

 

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” (Mateus 11:28)

 

 

Fonte: BIBLE TRUTH PUBLISHERS

Veja Também:

Author: Acervo Digital Cristão

Share This Post On