BOA NOITE OU ADEUS!

BOA NOITE OU… ADEUS! O Dr. LANGDALE, de Nova York, conta de um consagrado crente no Senhor Jesus, homem de negócios, que foi atropelado por um automóvel e levado às pressas para um hospital. Informaram-no que apenas teria mais umas duas horas de vida. Sua fé na bondade de Deus e no porvir era bem manifesta. Mandou chamar a família e dirigiu-lhes as seguintes palavras de despedida:

Boa noite, querida esposa. Nos dias de sol e pelas sombras, temos andado juntos. Você tem sido a minha inspiração em todos os meus empreendimentos. Tantas vezes tenho visto como que o Espírito de Deus brilhando em seu rosto. Amo você muito mais do que no dia em que se tornou minha noiva. Boa noite, querida, hei de tornar a encontrá-la amanhã; boa noite!

Boa noite, Mary. Você é nossa primogênita e tem sido de grande alegria ao seu pai. Que boa crente você é, Mary; nunca você poderá esquecer o quanto eu a amo. Boa noite, Mary, boa noite!

— Boa noite, William. — Voltou-se para o filho mais velho. — A sua vinda ao nosso lar foi uma bênção sem igual. Você ama o Deus de seu pai. Continuará a crescer em toda a graça e virtude cristã. Tem de seu pai o amor e a bênção. Boa noite, William, boa noite! Era Charles o que se seguia ao William, mas tinha andado em más companhias, entristecendo sobremaneira os pais. O homem moribundo passou-o por alto, e dirigiu-se à filhinha mais nova, uma linda menina, deixando Charles para o fim.

Boa noite, Grace. Há muito tempo você tem sido como um cântico de alegria e um lindo raio de luz. Quando, ainda há pouco, se entregou de todo o coração a Cristo, o cálice de felicidade de seu pai transbordava. Boa noite, filhinha querida, boa noite!

Adeus, Charles. — Chamou então Charles para junto dele. — Oh, Charles, que rapazinho belo e promissor que você era. Seus pais confiavam que você viria a ser um homem nobre. Demos a você todas as oportunidades que concedemos aos seus irmãos. Se alguma diferença tiver havido, você há de admitir que foi sempre a seu favor. Você nos trouxe desilusão. Você enveredou pelo caminho largo, que conduz à perdição. Desprezou os avisos da santa Palavra de Deus. Não quis escutar o convite do Salvador. Mesmo assim, sempre o amei e continuo a amá-lo, Charles. Só Deus sabe o quanto eu amo você! Adeus, Charles, adeus! Charles, agarrando-se à mão do pai, e entre soluços, exclamou:

— Meu pai, porque você disse “boa noite” aos outros, e a mim “adeus”? — Pelo simples motivo de que encontrarei os outros membros da família “pela manhã”; mas todas as promessas de Deus, que nos asseguram esse encontro glorioso; essas afirmações da Palavra de Deus quanto a tal encontro, nenhuma esperança me dão de que eu venha a encontrar você ali. Adeus, Charles, adeus!

Charles prostrou-se de joelhos, junto à cama do seu pai moribundo, e clamou em grande angústia de alma, rogando a Deus perdão dos seus pecados.

— Charles, você está pedindo com sinceridade?

— Deus sabe que sim — disse o jovem, de coração contrito e quebrantado.

— Então Deus ouvirá e lhe salvará, Charles, pelo que já lhe digo: “Boa noite”, e não “Adeus”. Boa noite, Charles, boa noite, meu filho. — E com estas palavras nos lábios, faleceu.

Hoje Charles é um pregador do Evangelho.

Esta narrativa do falecimento feliz daquele querido irmão na fé foi-me enviada por um amigo (escreve o Dr. Langdale) e, ao transmiti-la, faço-o com fervorosa oração, que possa ela vir a ser lida por muitos “Charles” que estão agora seguindo pelo caminho largo, que conduz à destruição.

Eis aqui agora o dia da salvação” (2 Coríntios 6.2). Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa” (Apocalipse 3.20). Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação?” (Hebreus 2.3).

Oh! Não feches os ouvidos à Palavra,

Nem os olhos à bendita luz!

O coração não endureças;

Vem desde já a Jesus.

 

Retirado do Livro Qual o teu destino

Author: .

Share This Post On