A CRUZ E A GLÓRIA

No Novo Testamento Deus nos revelou duas verdades maravilhosas – a cruz e a glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Que assunto solene e bendito para ocupar nosso coração – a morte do Filho de Deus sobre a cruz do Calvário neste mundo, e Sua glorificação à mão direita da Majestade nas alturas. Quão pouco nossas almas penetram nestas coisas tão preciosas, embora a glória de Deus e o destino eterno de toda a raça de Adão dependam delas. Sem a morte de Cristo não teria havido salvação; sem a ressurreição, a Sua morte teria sido em vão.

A morte de Cristo foi o ato voluntário de um Homem santo, perfeito e sem pecado. A morte não tinha poder sobre Ele pois a morte é o salário do pecado, e nEle não há pecado (1 Jo 3:5). E a morte é o poder de Satanás (Hb 2:14 Versão Almeida Atualizada), mas Satanás não tinha poder algum sobre Ele. “Se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em Mim” (Jo 14:30). Jesus entregou Sua vida para a glória do Pai, para a salvação do que era Seu, e para a redenção da criação. O fundamento de tudo isso foi perfeitamente embasado em Sua morte. Deus foi infinitamente glorificado, e o juízo pelo pecado foi carregado pelo Santo de Deus. Ele clamou, “Está consumado!”, e entregou o espírito.

Se, no entanto, tudo terminasse ali, a cruz demonstraria tão somente que o homem manifestou sua própria vontade contra o Cristo de Deus, e Satanás teria tido a vitória. Mas onde está o Senhor agora? Ele foi colocado na sepultura, porém Deus O ressuscitou de entre os mortos, e Lhe deu glória. A maior vitória do inimigo provou ser a sua maior derrota. A cruz está vazia, a sepultura está vazia, e Cristo está ressuscitado! A ressurreição de Cristo é o triunfo completo e eterno sobre todo o poder do inimigo. Toda a questão de pecado, pecados, Satanás, morte, julgamento e inferno, encontrou resposta na cruz. A ressurreição é o testemunho de Deus para todo o universo do fato que os Seus santos requisitos foram todos perfeitamente satisfeitos, de uma vez para sempre, e que Ele Se encontra infinitamente glorificado na obra de Seu Filho. Ele exaltou, à Sua destra, o bendito Homem que fez tal obra. Aquele que foi crucificado é agora Aquele que está glorificado. A cruz foi trocada pelo trono. Jesus foi feito ambos: Senhor e Cristo. Bem cedo, toda criatura inteligente celebrará o Seu louvor e O reconhecerá por digno como Homem em Seu lugar exaltado.

Nunca devemos separar a glória da cruz. Se me ocupar somente com Cristo na cruz, e com minha morte com Ele ali, ficarei muito aquém de desfrutar a bênção e o privilégio que me pertencem como cristão. Se me encontrar ocupado com Cristo na glória, e com minha associação com Ele ali, e esquecer-me da cruz, irei me tornar altivo, e tanto meu andar como minha maneira de ser ficarão fora da realidade. O conhecimento do evangelho da glória de Cristo envolve a responsabilidade correspondente. Se Cristo, o Amado na glória, for a medida de minha aceitação diante de Deus, Cristo, e Cristo somente, será o padrão e o modelo para meu andar e para meu proceder. Que Deus possa, em Sua rica graça, nos capacitar a penetrarmos mais e mais na maravilhosa posição que temos diante de Deus, e a andarmos, em nossa vida e circunstâncias diárias, de modo digno de nosso elevado chamamento, até que contemplemos nosso Salvador face a face.

E.H.Chater

pdf-downloadepub-download mobi-download

Author: .

Share This Post On